Honorários: representantes da Cassi conhecem pauta de 2022

Na tarde da última quinta-feira, 22 de junho, a Comissão Nacional de Negociação - coordenada pela Associação Médica Brasileira e Associação Paulista de Medicina, em parceria com as demais Federadas da AMB e sociedades de especialidades - apresentou as solicitações dos médicos para 2022 aos membros da operadora Cassi.

Últimas notícias

Na tarde da última quinta-feira, 22 de junho, a Comissão Nacional de Negociação – coordenada pela Associação Médica Brasileira e Associação Paulista de Medicina, em parceria com as demais Federadas da AMB e sociedades de especialidades – apresentou as solicitações dos médicos para 2022 aos membros da operadora Cassi.

Conduzida por Marun David Cury, Diretor de Defesa Profissional da APM e pela Coordenadora Técnica da CBHPM da ABM, a operadora foi representada pelos gerentes Rafael Latini Moreira (Divisão) e Aline Rosa da Silva (Negociação).

Durante o encontro, foram apresentadas as principais demandas dos médicos para 2022 voltadas para os planos de saúde, sendo elas: reajuste de 10,65% no valor dos atendimentos em consultório, tanto para consultas presenciais quanto para aquelas realizadas de forma on-line e solicitação de que as operadoras sigam a tabela de portes da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) em relação à remuneração dos procedimentos.

Em relação aos contratos que utilizam critérios pré-estabelecidos de reajustes, os médicos pedem que o valor mínimo seja o IPCA pleno e, para o caso da inserção de novos métodos de bonificação para os prestadores de serviços, é solicitado discussão prévia com as organizações médicas representativas – se tornando responsáveis por intervir em eventuais conflitos entre os médicos e os planos de saúde, bem como em possíveis casos de descredenciamentos, glosas, entre outras situações.

Imagens: Reprodução Reuniões APM/AMB