Impacto da pandemia em pacientes graves é tema de webinar APM/AMB

A Associação Paulista de Medicina e a Associação Médica Brasileira realizaram na noite da última quarta-feira (24), mais um webinar, sobre o impacto da pandemia nos pacientes graves. O evento foi apresentado pelos presidentes das entidades, José Luiz Gomes do Amaral (APM) e César Eduardo Fernandes (AMB), e teve moderação de Suzana Margareth Ajeje Lobo, presidente da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) e membro do Comitê Extraordinário de Monitoramento da Covid-19 (CEM_COVID AMB).

Últimas notícias

A Associação Paulista de Medicina e a Associação Médica Brasileira realizaram na noite da última quarta-feira (24), mais um webinar, sobre o impacto da pandemia nos pacientes graves. O evento foi apresentado pelos presidentes das entidades, José Luiz Gomes do Amaral (APM) e César Eduardo Fernandes (AMB), e teve moderação de Suzana Margareth Ajeje Lobo, presidente da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) e membro do Comitê Extraordinário de Monitoramento da Covid-19 (CEM_COVID AMB).

“Fico pensando, em uma situação tão difícil como esta, em águas tão turbulentas diante da pandemia em que vivemos, que privilégio temos nós, de nos encontramos com colegas tão qualificados, dedicados e empenhados, que não tiveram um segundo de trégua dessa guerra que já vai para o seu segundo ano”, refletiu Amaral.

“Vamos tratar de um assunto totalmente relacionado com o momento difícil que vivemos, já passamos por tempos piores, mas ainda não tivemos dias que possam nos dar o selo definitivo de que estamos findando a pandemia”, complementou Fernandes.

Palestra

Ederlon Rezende, diretor do Serviço de Terapia Intensiva do Hospital do Servidor Público Estadual, ex-presidente da AMIB e coordenador do Projeto UTIs Brasileiras, foi o palestrante. “Quando estamos diante de uma pandemia, o que queremos evitar é exatamente mortes em excesso, que poderiam ser evitadas, e é muito simples do ponto de vista do que fazer, mas nem tão simples de se executar. Em uma pandemia, para conter essas mortes, é preciso intervir em dois pontos, tentar diminuir a curva de casos e ampliar a capacidade do sistema de saúde para atendimento dos pacientes”, iniciou.

“Essas duas ações têm um único objetivo, evitar o colapso do sistema de saúde. Quando o colapso acontece, temos que encarar um cenário de mortes que poderiam ser evitadas. É muito importante ter medidas de atenção primária, testagem, prevenção, higienização e, principalmente, o distanciamento social, um remédio amargo, mas que em alguns momentos é essencial para controlar o crescimento de casos”, complementou.

Segundo o especialista, o Brasil é um dos países que apresentam o maior número de leitos de UTI per capita, de acordo com dados do Ministério da Saúde. “O grande problema é que somos um País de desigualdades. Em 2014, apenas 25% da população contavam com um plano de saúde, outros 75% utilizavam o Sistema Único de Saúde, e vale ressaltar que metade dos leitos de UTI estavam disponíveis para quem tinha plano de saúde. Diante disso, temos uma situação de distribuição bem heterogênea.”

Outro problema de distribuição marcante no SUS é a heterogeneidade regional. O número de leitos das regiões Norte e Nordeste, em proporção per capita, é bem menor quando comparado ao Sul e Sudeste, e não é à toa que foi exatamente nas regiões menos favorecidas em que o sistema de saúde colapsou primeiro, com um número alarmante de mortes.

Ainda de acordo com ele, mais uma grande preocupação dentro da terapia intensiva era como manter a qualidade do cuidado. “No início da pandemia, nos vimos diante de um número excepcionalmente alto de casos, com uma doença de gravidade muito maior do que estávamos habituados, equipe reduzida por conta do aumento de demanda e, principalmente, a tensão que todos sofriam pelo número reduzido de leitos”, complementou.

Conforme dados das semanas epidemiológicas publicados pelo projeto UTIs Brasileiras, pessoas com 80 anos foram as primeiros a experimentar redução do percentual de pacientes admitidos nas UTIs: ”O cenário demonstra e comprova a eficácia da vacina em proteger as pessoas das formas mais graves da doença e de necessitarem da terapia intensiva”, ressaltou Rezende.

Profissionais da Saúde

Desde o início da pandemia, o número de profissionais da Saúde diagnosticados com síndrome de burnout só aumentou. “Ficou muito claro em determinado momento da pandemia que não adiantava abrir leitos se não tivéssemos profissionais capacitados. UTIs são feitas por pessoas, não por equipamentos e ventiladores mecânicos”, ressaltou o palestrante.

Ederlon Rezende ainda enfatizou que o estresse emocional vivido por todos da linha de frente foi alarmante, provocado por uma doença com alta mortalidade, por uma situação de afastamento da família e dificuldade de dar más notícias com frequência. “Nós nunca vimos um aumento tão grande de problemas relacionados à sobrecarga emocional em nossos profissionais de Saúde.”

Sobre os desafios presentes e futuros da pandemia para os intensivistas brasileiros, o especialista explica que estão ligadas às pressões impostas aos serviços de urgência e emergência, entre elas a preocupação de novas ondas, agravamento de comorbidades em sobreviventes, desassistência provocada pelas restrições de acesso e condições crônicas agudizadas em pacientes sem Covid-19.

“Não há espaço para achismo ou fake news, essa é uma lição importante trazida pela pandemia. Se este momento trouxe um desafio muito grande para nós, que atuamos dentro da terapia intensiva, certamente foi uma oportunidade de sentirmos orgulho de sermos intensivistas”, finalizou.

Debate

“Alguns dados me chamaram a atenção. Me impactou o fato de que a mortalidade de nossos pacientes de UTI não é muito diferente do que se observa em outros países. Claro que esses números representam médias, não a realidade de todas as unidades de terapia intensiva, existem algumas que estão com dados muito melhores e outras deixando a desejar”, comentou César Fernandes.

O presidente da APM também trouxe uma reflexão sobre a falta de suprimentos durante o ápice da pandemia. “Quando começaram a faltar ventiladores, percebemos quão grave tem sido a desestruturação da nossa indústria. Por muitos anos fabricamos os melhores ventiladores do mundo e, fizemos tão bem, que nossas empresas foram vendidas para outros países. A globalização provavelmente será revista após a pandemia, os países não podem mais depender somente dos suprimentos de um só lugar, é necessário repensar em termos de incentivo à indústria nacional”, completou.

Perdeu algum dos nossos webinars passados? Acesse a playlist completa aqui.

Notícias relacionadas:

19/11/2021 – Webinar: Especialistas debatem cardiomiopatia e eventos cardioembólicos
12/11/2021 – Webinar APM/AMB debate aspectos clínicos e diagnóstico da chikungunya
04/11/2021 – Especialistas discutem hipertensão arterial em Webinar APM
28/10/2021 – Outubro Rosa: Webinar APM/AMB traz debate com especialistas
22/10/2021 – Webinar APM/Regionais debate traumas oftalmológicos e hiperplasia de próstata
18/10/2021 – Webinar APM/AMB aborda novas diretrizes da Medicina nos Estados Unidos
08/10/2021 – Evasão de doutores brasileiros é abordada em webinar APM/AMB
01/10/2021 – Comitê Extraordinário de Monitoramento da Covid-19 é tema de webinar APM/AMB
23/09/2021 – Cuidados para a volta às aulas são debatidos em webinar da APM
16/09/2021 – Webinar APM/Regionais debate Bioética e Cuidados Paliativos
09/09/2021 – Vacinas e variantes da Covid-19 são discutidas em Webinar APM
02/09/2021 – Webinar APM aborda formas de tratamento para o tabagismo
26/08/2021 – Webinar APM/AMB faz atualização sobre paralisia facial periférica
20/08/2021 – Psoríase e Espiritualidade na Saúde são temas do webinar APM/Regionais
12/08/2021 – Webinar APM foca nos avanços em insuficiência cardíaca
05/08/2021 – Webinar APM: Especialistas debatem sobre empatia diante da Telemedicina
30/07/2021 – Com Ivete Berkenbrok e Gilberto Natalini, webinar debate se velhice é doença
22/07/2021 – Vacinas, variantes e miocardite por Covid-19 são temas de webinar da APM
15/07/2021 – Em webinar, APM lança campanha contra fake news
01/07/2021 – APM e AMB promovem fórum sobre contratualização na saúde suplementar
24/06/2021 – Cardiologia é tema do debate do Webinar APM/Regionais
18/06/2021 – Webinar APM/Regionais foca em questões ortopédicas
10/06/2021 – Impacto assistencial e econômico na rede hospitalar com a Covid-19 é tema de Webinar APM
03/06/2021 – Webinar APM aborda prevenção de quedas em idosos
27/05/2021 – Covid-19: Webinar debate educação médica no Brasil e em Portugal
26/05/2021 – Webinar APM debate Medicina 4.0 e inovações na área
21/05/2021 – Suscetibilidade genética e relação da Covid-19 com miopia são tema de Webinar APM
13/05/2021 – Apneia obstrutiva do sono é tema de Webinar APM
10/05/2021 – Webinar APM debate a pandemia da obesidade
22/04/2021 – Relação da pandemia com a religião é tema de Webinar APM
16/04/2021 – Especialistas abordam as lições aprendidas com a Covid-19 em Webinar APM
09/04/2021 – Covid-19: Webinar APM/AMB traz projetos discutidos na Câmara Federal
09/04/2021 – Webinar APM aborda vacinas e variantes do SARS-CoV-2 com Jorge Elias Kalil Filho
01/04/2021 – Covid-19: Webinar APM debate estratégias da Ciência brasileira
25/03/2021 – Doenças Raras são retratadas em webinar em parceria com Piracicaba e Santo André
19/03/2021 – Webinar APM, em parceria com regionais Botucatu e Ourinhos, debate comportamentos psicossociais e autismo
12/03/2021 – APM retoma webinars semanais com debate sobre Síndrome pós-Covid-19